Top

Por que a transformação digital é tão difícil?

Por que a transformação digital é tão difícil?

A maioria dos gestores já reconhece que a tecnologia da informação é um aspecto fundamental em praticamente qualquer empreendimento. Seja para otimizar processos internos e aumentar a eficiência da companhia, para atingir um maior número de clientes e compreender melhor o seu perfil, ou para visualizar e analisar resultados e auxiliar na tomada de decisões, fica cada vez mais claro o potencial de alavancagem dos negócios através da transformação digital. Ainda assim, não é raro ver empresas patinando em suas jornadas de transformação e, muitas vezes, as causas disso não são corretamente identificadas. Neste texto, vamos investigar alguns fatores que dificultam a transformação digital nas empresas e como podemos contorná-los.

 

Fuja das buzzwords vazias

 

Blockchain. Criptomoedas. Bitcoin. Será que fazem sentido para o seu negócio?

 

Pra começar, uma grande dificuldade está na própria compreensão da tecnologia e da sua aplicabilidade à realidade de cada organização – é muito fácil para quem não está familiarizado com o meio se deixar seduzir pelas promessas das buzzwords do momento. Assim como existem muitas empresas sérias oferecendo soluções tecnológicas de vanguarda, também existem muitas outras prontas para tirar proveito dos incautos. Por exemplo, um estudo recente da MMC Ventures, fundo de capital de risco baseado em Londres, constatou que 40% das startups de inteligência artificial europeias não utilizam técnicas de IA em seus serviços! Outro bom exemplo é a explosão da popularidade do termo “blockchain” nos últimos anos – por algum tempo, bastava uma startup dizer que trabalhava com blockchain para que tivesse fácil acesso a investimentos anjos. Esse fenômeno chegou a um nível tal que até uma fabricante de bebidas de Nova York resolveu colocar “blockchain” no seu nome – e a manobra causou um aumento de 200% no valor de suas ações. Obviamente isso não é a verdadeira transformação digital, poderíamos com muito otimismo batizar o fenômeno de “maquiagem eletrônica”. É preciso controlar o FOMO (fear of missing out, ou “medo de ficar de fora”) e filtrar a propaganda baseada em chavões da moda, buscando o apoio de empresas e profissionais que tenham um histórico de resultados comprovados no mercado.

 

Tenha foco no resultado

 

 

Resultado, aliás, deve ser o principal motivador de qualquer iniciativa empresarial, e a transformação digital não pode ser exceção a essa regra. Para que tenha sucesso, ela deve ser baseada em metas claras, que sejam desafiadoras, mas factíveis, e que tenham objetivo, valor e prazo definidos. Afinal, sem esses elementos, seria impossível avaliar se tivemos sucesso em nossa jornada ou não. Quando se fala em metas, não podemos deixar de mencionar a importância de uma comunicação clara destas metas para todo o time. As pessoas trabalham melhor e mais felizes quando elas possuem um senso de propósito naquilo que fazem, quando entendem por que fazem aquilo que fazem. Simon Sinek expõe de forma brilhante essa constatação em seu livro Start with Why, que é eloquentemente resumido nesta palestra dele para o TED. Possuir metas claras, desafiadoras e adequadamente desdobradas através de toda a empresa auxilia na criação desse senso de propósito, fazendo com que todos percebam a importância do trabalho que realizam para o sucesso da companhia.

 

Não esqueça das pessoas

 

 

E falando em pessoas, não podemos deixar de mencionar algumas questões relacionadas a um aspecto crítico para o sucesso da transformação digital – os profissionais de tecnologia da informação. Mais especificamente, ao seu perfil comportamental. Para distanciar-nos dos estereótipos, vale citar que estudos científicos já demonstraram menores níveis de extroversão, assertividade e foco no cliente entre profissionais de TI, quando comparados a outras profissões (Lounsbury et al., 2014). Podemos constatar os efeitos práticos disso quando vemos pessoas muito focadas nos produtos e sistemas que estão desenvolvendo, mas dando pouca importância ao problema que esses entregáveis deveriam resolver. O amor que muitos têm pela tecnologia nem sempre se traduz em solução de problemas no mundo real, e o “pessoal da informática” costuma partir do pressuposto que fazer essa ponte é função exclusiva da área de negócios. Não por acaso, empresas que adotam metodologias ágeis, colocando na mesma equipe negócios e tecnologia, e direcionando o foco para resolver o problema do cliente, conseguem melhores resultados em suas jornadas de transformação digital.

 

Transformação digital não significa utilizar mais sistemas em suas atividades, ou simplesmente automatizar processos administrativos. Para verdadeiramente revolucionar os resultados, ela deve se entranhar na própria cultura das organizações, e isso não é possível sem pessoas excelentes, focadas e orientadas ao resultado.

 

Se a sua empresa está precisando de ajuda para elevar o seu patamar de resultados, nós da MERITHU podemos ajudar. Somos uma consultoria apaixonada por resolver problemas e melhorar os resultados através das pessoas, fale conosco para conhecer as nossas soluções.

 

Paulo Becker

É Consultor Sênior na MERITHU. Foi Consultor de Gestão na Falconi. Possui experiência no setor privado em serviços financeiros, administradoras de planos de saúde e de benefícios, e nas indústrias siderúrgica, madeireira e de papel e celulose. Também atuou no setor público, em bancos estaduais e em secretarias estaduais e municipais de fazenda, planejamento e segurança pública. É graduado em Ciência da Computação pela UFRGS e possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Possui cursos em análise econômico-financeira, green belts, gerenciamento de projetos e gestão para resultados.

No Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: